segunda-feira, 30 de junho de 2008

Justo Campeão

Finalmente, vejo um justo campeão europeu. A Espanha foi, sem dúvida, a melhor selecção deste Europeu. Dominou todos os jogos em que participou, menos contra a Itália, embora tenha jogado da forma correcta para levar de vencida os campeões do Mundo. Melhor futebol, melhor organização, melhores artistas, melhor forma fisica. Em todos os campos, a Espanha foi a melhor e, por isso, não poderia haver outro vencedor.

Fica aqui uma análise das restantes selecções:

No Grupo A, Portugal acabou por fazer mais ou menos o que se esperava. Esteve fisicamente bem, mostrou bom futebol mas baqueou naquilo que já se esperava: no guarda redes e no lateral esquerdo. A Turquia surpreendeu, chegou a ser considerada a equipa da sorte mas foi eliminada com muito, muito azar. A partir do 1º jogo, praticou bom futebol. A Rép. Checa foi umas das grandes decepções do torneio. Nota-se, claramente, a falta de Nedved. Por último, a Suiça fez o que pode e não conseguiu contrariar algum azar.

No Grupo B, a Alemanha mostrou um futebol fraquinho. Sem chama, sem alma de campeão, chegou à final através de dois factores, tal como no Mundial 2002: sorte e arbitragem. É o país dos interesses e vai continuar a ser levada ao colo, como sempre. A Croácia, depois de um belo inicio, baqueou nos quartos, num jogo em que mostrou uma pálida imagem. No entanto, é uma equipa jovem, ainda tem muito para mostrar. A Polónia e a Turquia, como se esperava, passearam pelo Euro2008 e diz-se que participaram em alguns jogos.

No Grupo C, muitas surpresas. Em primeiro lugar, o grande inicio da Holanda. No entanto, mal se viu a perder num jogo, foi eliminada. Foi absolutamente trucidada pela Rússia, num dos maiores bailes de futebol que eu alguma vez vi. A Itália só se viu no jogo com a França. A França não se viu em jogo nenhum. A Roménia fez o que pôde e a mais não era obrigada.

No Grupo D, a Espanha mostrou toda a sua classe desde inicio, ao contrário da Rússia. Aquele Holanda-Rússia vai ficar na minha memória e Arshavin, apesa do apagamento na meia-final, é um dos nomes marcantes deste Euro. Hiddink, fantástico treinador. A Suécia esteve muito abaixo do que se esperava. A Grécia esgotou toda a sua sorte há 4 anos.

Uma última palavra para a arbitragem. Uma frase basta: péssimas arbitragens!

sábado, 21 de junho de 2008

Pesetero

São jogadores como tu que me metem nojo. Peseteros de merda!

Rodriguez, pelos vistos, assinou pelo FC Porto, depois de ter andado a dizer que qualquer um gostava de jogar no clube da tripeirada mas que em Portugal só jogava no Benfica.

Este não é o primeiro caso e infelizmente não será ultimo. Muitos de vocês estarão recordados de um tal lituano chamada Edgaras Jankauskas, que andava perdido no banco da Real Sociedad, e que o Benfica reabilitou para o futebol. Veio para a imprensa dizer que o Benfica era uma religião mas nos dias seguintes assinou pelo FC Porto. Felizmente, nunca mais teve sorte na vida e na última época esteve Belenenses (alguém soube?).

Cristian Rodriguez é um cabrão mal agradecido. Ele andava sem jogar no PSG e não tinha quaisquer perspectivas na carreira. Aliás, estavamos no final do mercado de transferências no Verão passado e Rodriguez não conseguia arranjar clube para jogar. Apareceu o Benfica e valorizou-o imensamente. Quando ele chegou, falou-se que o Benfica teria que pagar 4 milhões ao seu empresário para ficar com ele em definitivo. Passado uns meses, já valia 7 milhões. Ambos ficaram a lucrar com a aposta do Benfica. E ambos mostram não só uma imensa ingratidão, como uma profunda falta de respeito por um clube que o recuperou para o futebol, quando a sua carreira estava ameaçada (um jogador com 22 anos estar um ano sem jogar é quase sinónimo de final de carreira).

No entanto, já está feito, pelos vistos não há nada a fazer. Neste momento, só te posso desejar todo o azar do mundo. Desejo imensamente que a tua carreira seja repleta de lesões gravissimas. Que tenhas um público que não te respeite e que te assobie constantemente. Que as pessoas passem na rua por ti e te olhem com vergonha. Sim, porque tu és uma verdadeira vergonha! Seja lá quando for, eu estarei na Luz no Benfica x Porto para te chamar todos os nomes que me lembrar.

Como diria o Mitul, "Estimo bem que te fodas!".

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Velho Ditado

Como diz o ditado: "O futebol são 11 contra 11 e no final ganha a Alemanha".

Digamos que acrescentando França e Itália e temos aqui um dogma para os senhores da UEFA.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Que Palhaçada É Esta?

O que aqui vou escrever não invalida os erros defensivos de Portugal. O que vou aqui escrever não invalida a incapacidade gritante de Ricardo sair dos postes. O que vou aqui escrever não invalida a incapacidade de Ronaldo de se destacar e fazer sequer metade do que faz Man Utd.E por fim, o que vou aqui escrever não quer desculpar a desastrada opção por Paulo Ferreira, que acumula erros atrás de erros.

No entanto...

Eu gostava de entender várias coisas. Já não vou falar do Portugal x Suiça porque não tenho o hábito de comentar jogos-treino. Mas aquilo que antecedeu e o que aconteceu no Portugal x Alemanha é uma vergonha para aqueles supra-sumos da UEFA, nomeadamente para o cabrão do Platini, que insiste em beneficiar e apoiar incondicionalmente os países que o apoiaram e marginalizar os que estiveram do lado de Leonart Johansson. Madaíl, como idiota que é, não soube perceber de que lado estava a vitória e, em bom português, fodeu-se.

Vamos aos factos: alguém é capaz de me explicar porque é que um sueco com um nome impronunciável é escolhido para árbitro de uma final antecipada, como era o Portugal x Alemanha, deixando como 4º árbitro um dos 3 melhores árbitros da Europa, Kiros Vassaras? Ainda para mais, depois da merda que ele fez no Holanda x Itália, ao validar o golo de Van Nistelrooy (não me venham com regras estúpidas, aquele golo é inválido e pronto!)? Mas pronto, o senhor Frodjelft (têm a certeza que ele não é alemão?) lá veio apitar o jogo e cumpriu-se aquilo que eu esperava. Uma espécie de prolongamento do que se passou no Domingo.

Senão, como se justifica que não seja assinalado penalty sobre Nuno Gomes, que é claramente agarrado na pequena área alemã? Mais, como não é assinalada falta de Ballack no 3º golo sobre Paulo Ferreira?? Como é que Friedrich pisa ostensivamente Ronaldo, quando este está deitado no relvado depois de uma falta grosseira, e não é expulso?

Mas a questão das questões: Porque é que aquele FILHO DA PUTA do Marc Batta foi escolhido como observador deste jogo? Vou relembrar algumas coincidências. O jogo foi contra a Alemanha. O jogo era decisivo. Continuam a ser sempre os mesmos cabrões a fazerem o que querem das competições.

Este Euro2008 está absolutamente condenado a ser banal. Falta-lhe entusiasmo. Falta-lhe qualidade de jogo. Faltam-lhe árbitros de qualidade. Acima de tudo, falta-lhe credibilidade. Os erros de arbitragem têm sido grosseirissimos e com evidentes consequências nos resultados.

Neste momento fico a torcer por uma final Croácia-Holanda, que premiaria as duas únicas selecções que estão a praticar futebol espectáculo neste Europeu. Mas acreditem em mim, os mecanismos do costume vão tirar a Croácia da final. Da mesma forma, que vai acontecer o costume com a Espanha, a baquear perante adversários de igual gabarito. E o Holanda-Itália previsivel das meias finais será uma verdadeira final antecipada.

domingo, 15 de junho de 2008

O Prestígio

Aqui está o prestígio que vários notáveis do FCP apregoam que tem que ser defendido. Não duvidem: a cultura de falta de fair play e de ganhar sem olhar a meios é impregnada desde miúdos no FCP. É este o segredo da vitória?

sábado, 14 de junho de 2008

Domenech, És Mesmo Parvo Ou Apenas Gostas De Irritar?

Reymond Domenech é o tipico francês: parvo e idiota.

Depois de levar 4-1 com a Holanda, disse que a culpa era do árbitro e que este devia comprar uns óculos. LOL!

É melhor ficar-me por aqui...

terça-feira, 10 de junho de 2008

Resumo do Inicio do Euro 2008

Aqui deixo umas breves impressões sobre as 16 selecções presentes no Europeu, referentes à 1ª Jornada:

Suiça - Mostrou-se forte, combativa e bem organizada. No entanto, perdeu o jogo mais decisivo (injustamente) e perdeu também a sua estrela, Frei. Muito dificilmente poderá agora conseguir o apuramento.

Rep. Checa- Apesar de ter ganho o seu jogo, foi uma grande desilusão. Nota-se e muito a falta de Nedved. Não tem o jogo colectivo e agradável que o caracterizava. Sobreviveu devido à sua qualidade defensiva e, claro, do seu guarda redes, Cech. Deverá seguir em frente mas não terá grandes perspectivas de ir mais além do que os quartos de final.

Portugal - Para mim, uma bela surpresa. A jogar muito bem colectivamente, segura e sem ansiedades. A aposta passará agora por desenvolver a melhor forma de colocar Ronaldo mais em jogo. Penso que seria boa ideia colocá-lo na posição de avançado, como no Man. Utd. Tem tudo para passar em primeiro e a partir dai...

Turquia - Inesperadamente fraquinha. Esperava-se um pouco de melhor oposição. A defesa é fraquissima, o meio campo não funciona e o ataque que se esperava letal, é totalmente inoperante. Arrisca-se a sair da Suiça sem pontos.

Áustria - Como se esperava, uma selecção fraca. Não há muito mais a dizer, a conquista de um ponto já será positivo para a selecção da casa.

Croácia - Outra selecção que apesar de vencer, decepcionou. Esperava-se muito mais e passou por grandes apertos perante a frágil Austria. A jogar assim, perderá para a Polónia o apuramento.

Alemanha - Sem surpresa, mostrou toda a sua qualidade. Equipa muito madura, segura e com fio de jogo fantástico. Uma das grandes candidatas à vitória final.

Polónia - Não se pode formar grande opinião. Jogou contra a super favorita Alemanha e fez pela vida. Mostrou qualidade e promete fazer vida negra à Croácia na luta pelo 2º lugar.

França - Um desastre. Não jogou absolutamente nadinha, foi um zero. A jogar assim, não passará da 1ª fase.

Roménia - Contra uma França tão fraca poderia ter ousado atacar. Optou pelo empate. Surpreendentemente vê-se na luta pelo apuramento no Grupo da Morte.

Holanda - Surpreendeu-me, é verdade. Mas teve a sorte do jogo e a ajudinha do árbitro. No entanto, está embalada para seguir em frente. De qualquer forma, não acredito num brilharete da laranja mecânica. É uma convicção minha

Itália - Teve uma noite não. De qualquer forma, nota-se a falta de Nesta e Cannavaro na defesa e de Totti no ataque. Em principio lutará com a França pelo segundo lugar na última jornada, numa verdadeira batalha. Quem perder, estará fora.

Espanha - Mais uma surpresa positiva. Apesar das birrinhas de Aragonés, ele colocou a melhor dupla de ataque do Euro a funcionar e com um Iniesta a servi-los de forma assombrosa. Se mantiver o nivel e não se deixar cair, como de costume, nos momentos cruciais, poderá, finalmente, ser candidata à vitória final.

Rússia - Era grande a expectativa com uma equipa composta por jogadores do Zenit que conquistaram a Europa este ano e treinada por Guus Hiddink. Total fracasso. A defesa é um buraco e a Russia vai mesmo voltar na companhia dos gregos mais cedo para casa.

Grécia - Já se esperava isto. Voltou a praticar anti-futebol e desta vez não teve a sorte do seu lado, como teve em todo o Euro 2004. Uma equipa sem chama e sem referências.

Suécia - Muito bem organizada e com o talento de Ibrahimovic a mostrar-se. Seguirá, em principio, no 2º lugar mas depois será confrontada com uma equipa do Grupo da Morte e a aventura deverá acabar aí.

Fim de Ciclo

Pinto da Costa começa a ver a vida a andar para trás. Hoje, em mais um dos seus discursos inflamados, e sem perguntas incómodas, atacou por um lado...estúpido. Ora vejam:

" Se estes milhões todos fossem canalizados para resolver e apanhar o pedófilos deste país, centenas de crianças deste país que foram violadas anos após anos por gente indecorosa veriam os seus agressores apanhados. Se esses meios fossem fossem realmente para este pasteloso processo, quantos problemas não seriam resolvidos ".

Ora isto é a tipica declaração à "Homem de Alfama". Se os bancos e as petrolíferas doassem os seus lucros para as criancinhas em África que morrem à fome...e coisas assim...enfim é a tipica declaração de quem já está desesperado e que tenta apelar aos fanáticos mais estupidos, que seguem o seu pastor para onde ele os mandar. Ele, como parvo que não é, sabe bem que todos os casos devem ser resolvidos, inclusive o seu. E ele tenta desvalorizá-lo, dizendo que o futebol não devia ser importante. Mas é, e ele sabe-o bem. O futebol é uma das maiores industrias nacionais e sem a credibilidade que este processo DEVERIA trazer, pode perder e muito o seu valor. Já se deram ao trabalho de pensar no número de pessoas que trabalha directamente ou indirectamente relacionados com o futebol??

Pinto da Costa, a vida tá dificil...

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Direito ou Dever?

Será que temos direito ou obrigação à greve?

Nas últimas semanas tivemos em Portugal a melhor prova que os portugueses não sabem viver em democracia. Esta realidade ficou espelhada no rídiculo exemplo dos pescadores e hoje dos camionistas.

Porque acreditavam que a culpa estava no Governo, os pescadores nem se lembraram que o seu grande problema reside na falta de poder de negociação junto das grandes superficies, que praticam margens altissimas para o peixe. Assim, ameaçaram peixeiras dos mercados adjacentes aos portos e chegaram a partir para a violência com quem ousou furar a greve.

Mesmo assim, acho pior a situação de hoje. Vários camionistas que não aderiram à "paralisação" (sim, ontem houve 1 senhor muito entendido na matéria que disse que era estúpido falar em greve, obviamente que era uma paralisação) foram apedrejados e até alguns que foram retirados à força dos seus camiões. Quando houve um que se atreveu a fazer o óbvio (passar-lhes por cima) e atropelou um destes idiotas, caiu o carmo e a trindade.

Vêm exigir algo? Exijam, primeiro que tudo, inteligência e bom senso a vocês próprios. Vocês são uma vergonha para este país e ainda vêm falar para os Telejornais, muito indignados, como se fossem donos da razão.

Por falar na origem deste problema, parece que se torna habitual dar voz aos mais culpados da sitação, para que estes venham com falinhas mansas tentar enganar as pessoas. E o incrivel é que conseguem mesmo. Hoje lá veio mais um representante da OPEP dizer que a culpa do aumento dos combustiveis na Europa é dos impostos. Ora qualquer cidadão com a corda na garganta nem pensa e aplaude estas declarações. Só que o aumento não deriva dai. Que sejam altos, é uma questão. Mas o aumento vem da chamada "especulação" que não é mais do que resultado das leis do mercado. E nesse caso, a grande beneficiada desta situação é, sem duvida, a OPEP, que por alguma coisa se recusa constantemente a aumentar a produção. Enfim...más só os parvos e hipócritas é que têm direito à palavra.

sábado, 7 de junho de 2008

Portugal 2 x 0 Turquia

Felizmente, a nossa selecção fez questão de mostrar que eu estava errado. Jogaram um futebol muito positivo, agradável e com um bom sentido colectivo (o que fazia muita falta a Portugal). Defensivamente, três garantias: o lado direito é intransponível, Carvalho e Pepe formam uma bela dupla e Paulo Ferreira é fraquinho. De notar que a Turquia foi uma grande desilusão. Praticou autenticamente anti-futebol, quando não conseguiam tirar a bola, tratavam da questão com entradas durissimas e mal punidas pelo árbitro.

Ricardo (6) - Pouco trabalho. Nas saídas da baliza, o seu ponto fraco, esteve quase sempre seguro. Teve uma saída em falso sem consequências.

Carvalho (7) - Bastante seguro. Cumpriu a sua missão.

Pepe (8) - Bem a defender e bem a atacar. A jogada do seu golo é fantástica.

Paulo Ferreira (5) - De longe, o jogador mais fraco da selecção. Não dá segurança. O que vale é que a Turquia demorou a perceber que devia atacar por ali.

Petit (6) - Também não fez um bom jogo. Deixou alguns espaços e recuperou poucas bolas.

Moutinho (7) - Esteve bem principalmente a pressionar. Fez um bom jogo e deverá garantir a titularidade. Excelente pormenor técnico no 2º golo de Portugal.

Deco (7) - Que diferença para o Deco da qualificação!! Grandes passes, grande visão de jogo. Caiu na 2ª parte mas esteve muito bem.

Simão (7) - O Simão de sempre. Jogo regular e com boas iniciativas, principalmente na 1ª parte.

Ronaldo (6) - Muito desaparecido do jogo e bastante recuado. Quando pegou na bola, raramente tomou boas decisões. Fica a ideia que vale mesmo a pena colocá-lo a avançado.

Nuno Gomes (6) - Participativo mas...ele está lá para marcar golos. E se é verdade que no cabeceamento à barra teve bastante azar, no remate ao poste ele tinha a baliza praticamente escancarada. Podia ter feito muito melhor. Bom entendimento com Pepe no 1º golo.

Nani (5) - Entrou mal no jogo e na única boa jogada da sua parte foi ceifado...e o árbitro nem marcou falta.

Raul Meireles (6) - Jogou pouco tempo mas ainda marcou.

Meira (1) - Entrou a 20 segundos do fim.

Melhor em Campo:

Bosingwa (8) - É inutil atacar pelo seu lado. Ele ganha todas as bolas, venha quem vier. Fantástica exibição!

Árbitro:

Herbert Fandel (5) - Um árbitro de grandes contrastes. Tecnicamente quase perfeito. Anulou bem o golo a Pepe, ajuizou bem o lance da queda de Nihat na área portuguesa e acertou quase todas as faltas. Disciplinarmente, péssimo. Os jogadores da Turquia entraram em campo com a vontade de ceifar os jogadores portugueses e fizeram-no. Gokhan "espancou" Simão quando ia ficar isolado e apenas viu amarelo. Servet utilizou em demasia a agressividade e nem amarelo levou. Mehmet Aurélio (se bem me lembro) podia ter partido o tornozelo a Nani e nem falta foi. Neste capítulo, muito mal.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Noticias Fresquinhas

Noticias fresquinhas vindas directamente da Roménia, um país com uma tradição de democracia muito menor que a de Portugal:

" O Steaua Bucareste foi hoje penalizado com a perda de sete pontos no último campeonato romeno, devido a ter pago avultada quantia de dinheiro a jogadores do Universitatea para vencerem o Cluj na última jornada da competição. "

Preciso de dizer alguma coisa mais? Ou seja, lá vou eu bater na mesma tecla: comprar árbitros de 2 jogos é tão grave como utilizar um jogador mal inscrito e é menos grave do que pagar a jogadores para..ganharem um jogo (uma prática completamente aceite, por exemplo, em Espanha).

Percebem porque é que Portugal será sempre um país atrasado?

Mentalidade Portuguesa

Hoje ficou provado, mais uma vez, o problema do nosso país: falta de coragem. Portugal está coberto de cobardes. É por ninguém ser capaz de tomar decisões complicadas e que criem reformas profundas que quando alguém as toma, é enxovalhado e morto na imprensa. Poderia dizer aqui um nome mas se o fizesse teria logo 95% dos leitores a chamar nomes à minha mãe e eu não quero isso porque eu gosto muito dela.

Tudo isto vem na sequência da decisão da UEFA quanto à participação do FC Porto nas competições europeias. Por alguma coisa Portugal está na cauda da Europa em quase tudo. Em Portugal, aquele senhor que todos os portistas chamam de arrogante e vaidoso mas que lhes salvou a pele (e eles sabem-no bem) aplicou uma bela perda de 6 pontos. Na Europa, a UEFA, que já provou por variadas vezes que não brinca em serviço, aplicou os regulamentos (o que não foi feito em Portugal!) e excluiu o Porto da Champions. Nada mais justo.

Mais do que isso, eu afirmo: se alguma vez se provar que o Benfica esteve metido em tramóias deste género, sou o primeiro a querer que seja penalizado. Porque isso seria uma autêntica vergonha e desonra do meu clube. Não consigo perceber como depois de todos os factos (não são suspeitas!!são factos!) a grande maioria dos portistas mantêm-se ao lado de Pinto da Costa. Talvez porque são portugueses...sabem que foi ele que levou o clube ao sucesso e têm medo do período pós-Pinto da Costa.

Muitos portistas falam-me do caso do Benfica x Belenenses, em que aparece Luis Filipe Vieira a falar com, creio que Valentim Loureiro, a vir discutir o nome do árbitro para este jogo. Outra característica dos portugueses é só quererem olhar para um lado da história. No dia a seguir a esta polémica ter rebentado, o falecido ex-presidente do Belenenses, Cabral Ferreira, veio afirmar que é uma prática normal esta discussão nos jogos da Taça e que ele próprio também deu a sua opinião em relação a este jogo. Alguém deu importância a isto? Ninguém. O que interessa é a primeira parte da história.

Haja paciência! No futebol como no resto, esta mentalidade portuguesa leva-nos para o fundo da Europa.